quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

VESTIMENTAS DO SUMO-SACERDOTE



AS VESTES SACERDOTAIS

Êxodo - Capítulo 28

O SENHOR instruiu Moisés sobre a maneira em que se faria a intermediação entre Ele e o povo de Israel, dando-lhe instruções detalhadas sobre os sacerdotes que deveriam servi-lo no tabernáculo, suas vestes, e sua consagração.
Os sacerdotes escolhidos pelo SENHOR eram o irmão de Moisés, Arão, e seus filhos Nadabe, Abiú, Eleazar e Itamar. Eles tinham maiores responsabilidades do que os demais levitas: como sumo sacerdote, Arão era responsável por todos os sacerdotes e levitas. Os sacerdotes efetuavam os sacrifícios diários, faziam a manutenção do tabernáculo, ensinavam e aconselhavam o povo para que soubessem como obedecer e agradar a Deus. Devido à sua destacada posição de intermediários entre o povo e Deus, deviam viver de maneira condizente com a sua função santa. O Sumo Sacerdote era o único que podia entrar no Santo dos Santos, o que ele fazia uma vez por ano no Dia da Expiação, num ritual em que oferecia sacrifícios por si mesmo e pelo povo (Levítico 16).
O Senhor Jesus é agora nosso Sumo Sacerdote (Hebreus 8), e os sacrifícios ordenados pelo SENHOR não têm mais razão de ser, porque Ele deu seu próprio sangue (do qual o sacrifício de animais era uma figura - Hebreus 9). As vestimentas que distinguiam o sumo sacerdote dos demais são figura da glória e beleza do nosso Sumo Sacerdote, santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores, e feito mais alto do que os céus (Hebreus 7:26). Ele veio para salvar-nos, e agora está à destra de Deus para nos manter salvos.
No capítulo 28, versículos 2 a 39 encontramos os detalhes das vestes sagradas (separadas para o serviço de Deus) para glória e ornamento de Arão. Ele era o sacerdote principal (ou sumo sacerdote), e as suas vestes passariam para aquele dentre seus filhos e descendentes que viesse a ocupar a sua posição (capítulo 29:29-30).
Para todos os sacerdotes foram preparados:
  • Calções para vestir por baixo da túnica, indo da cintura até os joelhos (capítulo 28:42).
  • Túnica de linho fino, bordada (28:39).
  • Cinto do mesmo material.
  • Tiara, ou turbante, de linho fino para os sacerdotes, e uma mitra (coroa feita de 7 metros de pano enrolado) com uma placa de ouro gravada com as palavras Santidade ao SENHOR para o sumo-sacerdote.
Somente para o sumo sacerdote, foram feitos:
  • sobrepeliz, uma túnica de cor azul arroxeado, usada por baixo da estola sacerdotal. Chegava um pouco abaixo dos joelhos, e em toda a sua orla tinha romãs feitas de estofo azul, púrpura e carmesim, e pequenas campainhas de ouro entre elas, que soavam sempre que o sumo sacerdote se movia. As romãs são uma figura de fruto, e os sinos de testemunho. Ambos eram abundantes na vida de Cristo, e também devem caracterizar as nossas. Somos testemunhas de Cristo, e o fruto do Espírito aparece em nosso caráter (Gálatas 5:22-23). As duas coisas vão juntas, e se assim não for, algo de errado está acontecendo: não podemos testemunhar aos outros se estivermos praticando as obras da carne (Efésios 5:19-21), mas também fazemos mal se, andando no Espírito, não testemunhamos de Cristo. Devemos ter romãs e sinos, sinos e romãs.
  • estola sacerdotal, semelhante a um avental: era uma vestimenta vistosa feita de linho e fios de ouro, azul, púrpura e carmesim, composta de duas partes, sem mangas, presas uma à outra nas ombreiras. Nas ombreiras foram colocadas duas pedras de ônix, gravadas com os nomes das tribos, engastadas ao redor de ouro. Quando o sumo sacerdote entrava na presença de Deus, ele levava os Filhos de Israel sobre os seus ombros, na estola sacerdotal. Isto nos fala da força e do poder do sumo sacerdote.
    Em Hebreus 7:25 lemos que Cristo pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles. Na parábola da ovelha perdida, o Pastor foi procurá-la, e, achando-a, colocou-a sobre seus ombros (Lucas 15:1-7). O Senhor Jesus nos leva, figuradamente, nos seus ombros, e, se cairmos, Ele nos levanta e nos coloca novamente ali.
  • peitoral do juízo, uma peça quadrada medindo um palmo de cada lado, feita do mesmo material que a estola sacerdotal, e preso às ombreiras desta por correntes e argolas de ouro; o peitoral nunca devia se separar da estola. Seu nome anuncia o fato que o pecado já foi castigado. É a couraça da justiça (dele próprio) que o Senhor Jesus vestiu no mundo (Isaías 59:17) e devemos vestir (Efésios 6:14), para cobrir o nosso coração pecaminoso. É a única maneira em que podemos nos apresentar diante de Deus, indicando que o nosso pecado já foi castigado. Ele tinha:
    1. Na frente, doze pedras preciosas, cada uma esculpida como sinete com o nome de uma das tribos de Israel, para que Arão levasse sobre o seu coração os nomes dos filhos de Israel, quando entrasse no santuário, para memória do SENHOR continuamente. Os alicerces das muralhas da Nova Jerusalém também são adornados com essas mesmas pedras preciosas (Apocalipse 21:19-20). Cada pedra tem uma cor diferente, e juntas formam um conjunto de cores cintilantes. Quando o sumo sacerdote entrava na presença de Deus, usando o peitoril, ele simbolizava o Senhor Jesus Cristo que está à destra de Deus intercedendo por nós. Ele não só nos leva nos ombros, lugar de poder, mas também no peito, sobre Seu coração. Ele nos ama! ...
    2. Em cima havia uma abertura formando um bolso, onde eram colocados Urim (Luzes) e Tumim (Perfeições), para que, quando Arão entrasse perante o SENHOR, ele assim levasse o juízo dos filhos de Israel sobre o seu coração diante do SENHOR continuamente. Há apenas conjecturas sobre que objetos seriam: ambas as palavras estão no plural, podendo, portanto, haver vários e não sódois como a tradução para o português indica. Eles eram usados para consultar a direção de Deus em ocasiões de crise. Urim é mencionado sete vezes na Bíblia. As Luzes e as Perfeições nos falam de Cristo, a Luz do Mundo e o Homem Perfeito, e aquilo que Ele nos fez, pela Sua graça, luzes no mundo (Mateus 5:14), e perfeitos nele (Mateus 5:48, João 17:23, Efésios 4:13, Colossenses 1:28). O Senhor Jesus, presente diante de Deus, leva sobre o seu coração as nossas luzes e as nossas perfeições.
Todos nós, os crentes em Cristo, temos um sacerdócio a cumprir, oferecendo sacrifícios agradáveis a Deus (1 Pedro 2:5) - nossos corpos (Romanos 12:1), nossa fé (Filipenses 2:17), nossas contribuições (Filipenses 4:18), nosso louvor (Hebreus 13:15) - e devemos viver de maneira consistente com a dignidade dessa posição, como peregrinos e forasteiros no mundo (1 Pedro 2:11,12).
As vestes sacerdotais, de linho puro, simbolizam a justiça (resultado da nossa salvação pela fé - Romanos 9:30). Também João viu a noiva do Cordeiro (Apocalipse 19:8), sua igreja, em vestes de linho puro, os atos de justiça dos santos.

0 comentários:

Postar um comentário

Favor não postar palavras de baixo calão...

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More